Chuva supera 200 mm no RS e vem mais água: veja onde mais choveu

Neste domingo, várias cidades da Metade Norte do Rio Grande do Sul registraram chuvas excessivas entre 100 mm e 200 mm, resultando em quedas de barreiras, deslizamentos de terra e inundações devido ao transbordamento de cursos d’água menores, como arroios.

Vero Internet

Uma frente fria chegou ao estado no sábado, trazendo chuva para a maioria dos municípios. Esse sistema se tornou semi-estacionário devido a um bloqueio atmosférico associado ao ar seco e quente no Centro do Brasil.

A instabilidade foi reforçada por um centro de baixa pressão que avançou do Nordeste da Argentina para o território gaúcho no domingo.

Psicólogo Regis Soster

Volumes de Chuva

Somente neste domingo, os volumes de chuva variaram entre 100 mm e 200 mm em diversos pontos da Metade Norte, com marcas acima de 150 mm na Serra e no Litoral Norte. Nos Campos de Cima da Serra, a precipitação ultrapassou 200 mm em alguns locais.

Em um único dia, choveu entre 100% e 150% da média histórica do mês, configurando um episódio de chuva excessiva comparável ao do fim de abril e início de maio.

Livros Cristãos
Massagem

As áreas mais afetadas incluem uma faixa entre o Alto Jacuí, a região de Soledade, os vales, o Norte da Grande Porto Alegre, a Serra, os Aparados e as localidades mais ao Norte do Litoral Norte.

Chuva supera 200 mm no RS e vem mais água: veja onde mais choveu

Impactos

Diversos municípios enfrentaram problemas devido à chuva intensa. Na região da Serra, deslizamentos de terra e quedas de barreiras bloquearam a BR-116 em Caxias do Sul.

star

Arroios transbordaram, causando inundações em cidades dos vales e do Litoral Norte junto à Serra.

Em Dom Pedro de Alcântara, o salão de uma igreja desabou durante a chuva intensa.

Pessoas presentes no local conseguiram escapar a tempo, relatando que a estrutura do santuário foi totalmente danificada e um veículo ficou sob os escombros.

Preocupação com Rios

A MetSul alerta para o risco de cheias nos rios devido aos altos volumes de chuva registrados e previstos para os próximos dias. A Serra e os Campos de Cima, áreas de nascentes dos rios Taquari-Antas, Caí e Paranhana (que desemboca no Rio dos Sinos), estão entre as regiões mais preocupantes.

Também houve volumes elevados nas nascentes do Jacuí, no Norte do estado, próximo a Salto do Jacuí, Cruz Alta e Soledade, com precipitações de 100 mm a 150 mm em apenas um dia.

Registre sua marca

A MetSul Meteorologia projeta uma elevação acentuada no curto prazo nos rios de resposta rápida e alta declividade, como o Taquari e Caí.

Já os rios Gravataí e Sinos, que nascem entre o Litoral Norte e a Serra, têm resposta mais lenta, assim como o Jacuí.

Os rios com maior potencial de elevação na semana, segundo a MetSul, são o Uruguai, Jacuí, Taquari, Sinos, Gravataí e Caí. Exceto o Uruguai, todos desaguam no delta e no Guaíba, em Porto Alegre, onde o nível do rio subiu para 1,90 metro no cais e deve continuar subindo nos próximos dias.

Apesar do risco de cheias, a MetSul ressalta que os níveis esperados nesta semana não serão tão extremos quanto os observados no início de maio, pois choveu menos que na virada de abril para maio.

Previsão para a Semana

A semana será marcada por instabilidade e chuva.

Modelos numéricos analisados pela MetSul indicam que o tempo deve firmar no estado apenas no início da próxima semana, com a chegada de ar frio e de alta pressão.

Durante esta semana, a instabilidade será constante, especialmente na Metade Norte, onde podem ocorrer chuvas fortes e temporais isolados, sobretudo próximo a Santa Catarina.

Apesar do tempo instável, não choverá continuamente e haverá intervalos de melhoria ao longo da semana.

O risco de deslizamentos de terra e quedas de barreiras na Serra permanece crítico devido à previsão de mais dias de chuva.

Receba as principais notícias no seu WhatsApp

Comentários

Comentários