Ciclone extratropical na costa do RS: tudo o que você precisa saber

Formação do Ciclone

Na segunda-feira, áreas de baixa pressão no Sul do Brasil, acompanhadas de chuva intensa, resultaram na formação de um ciclone, conhecido como ciclogênese.

Vero Internet

Este fenômeno pode ser observado em imagens de satélite sobre o Atlântico, a leste do Rio Grande do Sul.

Previsão de Chuva e Vento

Na terça-feira, o Rio Grande do Sul estará sob a influência da circulação ciclônica. Isso significa uma variação na nebulosidade ao longo do dia, com períodos de sol, nuvens, e possíveis chuvas ou garoas isoladas.

A chuva forte, se ocorrer, será breve e localizada. Em dias de circulação ciclônica, a alternância de sol e chuva pode gerar arco-íris, especialmente à tarde.

Psicólogo Regis Soster

As regiões sul e leste do estado devem enfrentar ventos mais intensos, com rajadas de 70 km/h a 90 km/h em alguns pontos, principalmente no Litoral Sul.

Em Porto Alegre, os ventos devem variar entre 50 km/h e 70 km/h, podendo ser mais fortes em áreas mais altas e nas margens do Guaíba.

No Litoral Norte, as rajadas podem atingir entre 60 km/h e 80 km/h, especialmente entre Palmares do Sul e Tramandaí.

Livros Cristãos
Massagem

Impactos e Duração dos Ventos

Normalmente, os ventos mais fortes ocorrem pela manhã e início da tarde, diminuindo à medida que o dia avança.

No entanto, rajadas esporádicas podem continuar até a noite, especialmente na costa.

Com ventos fortes, há risco de queda de árvores e interrupção do fornecimento de energia elétrica, principalmente no sul do estado.

Disco Mania

Comparação com Ciclones Anteriores

Este ciclone não será tão intenso quanto os que afetaram o Rio Grande do Sul em 2023.

Os ciclones anteriores causaram chuvas extremas e ventos de até 150 km/h, resultando em danos significativos e vítimas.

O ciclone atual, pela sua posição e trajetória, não terá a mesma intensidade.

Efeitos em Outros Estados

O ciclone também impactará outras regiões. Em Santa Catarina, o sul e o leste do estado, especialmente no litoral, enfrentarão ventos de 70 km/h a 90 km/h.

Litoralmania Sistemas

No litoral de São Paulo e Rio de Janeiro, o vento deve aumentar entre quarta e quinta-feira, com possibilidade de ressaca no mar. Até mesmo os litorais do Espírito Santo e sul da Bahia podem sentir os efeitos do ciclone na segunda metade da semana.

Condições Marítimas

O ciclone deve intensificar-se e expandir seu campo de vento, gerando forte agitação marítima e ressaca nos litorais do sul e sudeste do Brasil.

No centro do ciclone, em mar aberto, as rajadas podem atingir 150 km/h, segundo a MetSul.

A ressaca pode danificar estruturas na beira da praia, como quiosques e calçadões, e avançar sobre ruas em algumas praias desprotegidas por dunas.

Fim do Ciclone e Mudança Climática

A partir de quarta-feira, o ciclone começará a se afastar para o leste.

Entre quinta e sexta-feira, estará longe do Brasil, permitindo que o ar seco impulsionado pelo ciclone traga uma melhora climática, com vários dias seguidos sem chuva e com sol no Rio Grande do Sul.

Essa mudança é crucial para interromper o período chuvoso que resultou em enchentes sem precedentes no estado.

Receba as principais notícias no seu WhatsApp

Comentários

Comentários