Coronavírus: variante de Manaus é identificada em quatro cidades do Litoral

Foto arquivo: "Aplicativo" detecta coronavírus pelo som da tosse

O Rio Grande do Sul registrou a circulação de mais uma linhagem do coronavírus, a B.1.1.7, chamada de “variante do Reino Unido”, com maior poder de transmissibilidade da Covid-19.

Identificada em um morador de Pelotas sem registro de viagem nem contato com viajante, no final de fevereiro, a cepa se assemelha ao efeito da P1 (variante de Manaus), já predominante e em incidência crescente no Estado, presente em 36 municípios.

No Litoral Gaúcho a P1 já foi identificada em Tramandaí, Três Cachoeiras, Imbé e Torres.

O levantamento mostra ainda que desde a primeira detecção da variante P.1 no Estado, ocorrida em janeiro, essa linhagem aumentou sua proporção entre as amostras sequenciadas, mantendo a predominância no RS.

As cepas mais frequentes em território gaúcho são as mesmas do restante do Brasil, B.1.1.33, B.1.1.28- a mais comum dentre a 42 linhagens que circulam no País -, P.2 e P.1.

Detectada pela primeira vez em outubro de 2020, a B.1.351, chamada de nova cepa da África do Sul, tem uma maior transmissibilidade, e alguns estudos já demonstraram uma possível diminuição da eficácia de diferentes vacinas contra essa variante.

Não há registro de identificação dela no Rio Grande do Sul, nem em nenhum estado do Brasil.

As informações constam no quinto Boletim Genômico da vigilância do SARS-COV 2 no Estado, divulgado na sexta-feira (16).

Quer receber as principais notícias em seu WhatsApp? Clique aqui.

Comentários

Comentários