“Exposição de escritores osorienses” apresenta obras de Delalves Costa

A iniciativa da Biblioteca Pública Fernandes Bastos, denominada “Exposição de escritores osorienses”, que valoriza escritores, apresenta neste mês a exposição literária de Delalves Costa.

O público pode conhecer o trabalho que ficará exposto na Biblioteca até dia 27 de setembro, quando haverá o lançamento do livro: “Fragmentos e iluminura do discurso prematuro”, às 19 horas.

Na terça-feira (17/09), a programação apresenta às 19h30min bate-papo com o tema: “Literatura do Litoral Norte na atualidade e na terça-feira (24/09), Sarau de Poesia: “Varal poético”, também às 19h30min.

O objetivo da Biblioteca é valorizar e divulgar a grandiosidade do trabalho feito pelos escritores de Osório.

O escritor do mês

A estréia de Delalves Costa no mundo literário foi aos 15 anos de idade com a paródia de um texto de Vinicius de Moraes. O escritor que se aventurou na poesia, em contos e depois em romance e peça de teatro, só tem publicações de poesia.

Em sua coletânea, tem quatro livros solos: Coisas que faltam em mim (1ª edição, 2005), O Menino dos Cataventos na Rua dos Passatempos (infanto-juvenil, 2006), “Considerações Pré-maturas & Outras ausências” (2008) e “Josseu Solta-inventos e as invenções do infantiletrando” (infanto-juvenil, 2008), todos de poesia.

O escritor também ostenta participações em livros cooperativos com autores de várias partes do Brasil – através de convite ou premiações.

Entre suas ações, publica três edições anuais da revista “Dois Pontos”. Com distribuição gratuita, apresenta artigos com temas específicos, que evidenciam o ponto de vista das pessoas que escrevem.

No dia a dia, a atividade de escritor tem beneficiado seu trabalho profissional, incentivando alunos e conseguindo passar conhecimentos de literatura de forma mais compreensiva.

Delalves explica que a literatura inspiração e auxilia a aproximação das pessoas, o que era apenas um hobby, passou para o profissionalismo em sua vida. – É muita responsabilidade, tem que fazer sentido, mexer com a gente – revela.

Sobre a literatura em Osório, sente a necessidade da existência de um espaço físico como um memorial de escritor – do autor. É preciso ter obras literárias que falam de escritores da região. Falta, por exemplo, uma obra que reúna tudo isso e mostre a formação do Litoral Norte. Um livro ou um memorial é um dos meus sonhos – declara.

Para quem está começando no mundo da escrita, o seu recado é objetivo. – É preciso ler muito, escrever bastante e não publicar na hora, deixar amadurecer.

Comentários

Comentários