Idoso que matou a companheira com marteladas é condenado no RS

Rio Grande do Sul: O Tribunal do Júri da Comarca de Sananduva condenou um homem de 79 anos pela morte da esposa, crime ocorrido em abril de 2019 na cidade, e ocultação de cadáver.

De acordo com o veredito do Conselho de Sentença, formado pelos sete jurados, o Juiz de Direito Gabriel Pinós Sturtz aplicou ao réu pena total de 19 anos e oito meses de reclusão em regime inicial fechado.

São 18 anos e oito meses de reclusão pelo crime de homicídio qualificado (feminicídio, meio cruel e motivo fútil), mais 1 ano de reclusão pelo crime de ocultação de cadáver.

O magistrado, que presidiu o júri, decretou a prisão do acusado, conforme previsão no Código de Processo Penal. Diante disso, o réu não poderá recorrer em liberdade.

A vítima, então com 68 anos, foi atacada com um golpe de martelo, utilizado para rachar lenha, e não resistiu ao traumatismo crânio-encefálico causado pelo golpe.

A denúncia apontou que o réu enterrou o corpo da mulher no pátio da casa em que viviam. O casal se relacionava há mais de 30 anos.

Para o julgador, o feminicídio foi praticado com método medieval. E revela “desprezo, por parte do acusado, que assassinou a vítima, sua companheira, com um ato de extremo ódio, não apenas contra sua esposa, mas também contra as mulheres em geral”, diz Sturtz na sentença, alertando que o Brasil vive uma pandemia de violência doméstica assassinatos de mulheres.

Receba as principais notícias no seu WhatsApp

Comentários

Comentários