Litoral tem arranjos produtivos selecionados para receber apoio da AGDI

Reunião NEAT 17set15 - crédito Bianka Nieckel AGDI (cópia)
Foto: Bianka Nieckel

A Agência Gaúcha de Desenvolvimento e Promoção do Investimento (AGDI) finalizou, na tarde desta quinta-feira, o processo de seleção dos 12 Arranjos Produtivos Locais (APLs) que passarão a receber apoio do Governo do Estado para estruturação e fortalecimento de governança.

A última etapa do processo foi a ratificação pelo Núcleo Estadual de Ações Transversais nos APLs (NEAT – composto por 25 entidades públicas e privadas) da avaliação feita pela comissão de análise das propostas.

Passarão a receber apoio a partir de 2016 os APLs:

  • Jogos Digitais (Vale do Sinos)
  • Leite da Fronteira Noroeste
  • Leite de Santana do Livramento (Fronteira Oeste)
  • Tecnologia da Informação e Comunicação da Região Norte – Polosul.org (Produção)
  • Apicultura do Vale do Jaguari
  • Agroindústria do Litoral
  • Polo de Defesa de Santa Maria (Central)
  • Tecnologia da Informação e Comunicação da Região Central – Centrosoftware
  • Polo de Moda do Norte Gaúcho (Rio da Várzea)
  • Móveis de Torres (Litoral)
  • Agroindústria e Alimentos do Vale do Rio Pardo
  • Vitivinícola da Serra Gaúcha

Esses arranjos receberão R$ 150 mil em recursos pelo período de 18 meses – sendo que 10% do valor total do convênio deve ser aportado como contrapartida econômica ou financeira por parte do APL. “O objetivo deste apoio é contribuir para a estruturação ou o fortalecimento da governança desses arranjos, de modo que eles tenham condições de realizar ações conjuntas que gerem ganhos concretos para as empresas e os empreendimentos participantes”, explica a coordenadora do NEAT, Gisela Schuler.

Os principais critérios na avaliação das propostas foram a importância econômica e social do APL para a sua região, o potencial de inovação e tecnológico do setor produtivo, a existência de cooperação entre empresas, a interação com instituições locais (associações, universidades e centros de pesquisa, entre outras), os vínculos com programas de apoio existentes, a relevância e o impacto das ações propostas e ainda a capacidade de sustentabilidade econômica do APL.

A partir da divulgação do resultado, serão elaborados os planos de trabalho dos convênios junto às entidades gestoras de cada arranjo. Além disso, será verificado o atendimento aos pré-requisitos dos proponentes para conveniamento com o Estado. As assinaturas devem ocorrer até o final do ano, para início efetivo a partir de 2016. Também foram selecionados 11 APLs suplentes.

Atualmente, 19 arranjos gaúchos recebem apoio à governança. A partir do próximo ano, além desses 12 APLs selecionados agora, outros 10 terão direito a recursos para projetos estratégicos, por meio de edital que está em fase inicial de avaliação de propostas. Se um dos selecionados nesta quinta-feira for contemplado também pelo edital de projetos, pode ter de ceder lugar a um dos arranjos suplentes no edital de governança.

O que são os APLs – Os Arranjos Produtivos Locais (APLs) são conjuntos de empresas, produtores e instituições que, em um mesmo território, mantêm vínculos de cooperação. Com produtos semelhantes, participam da mesma cadeia produtiva, utilizam insumos comuns, necessitam de tecnologias semelhantes e informações sobre os mesmos mercados. Um APL é a prioridade definida por uma região para o seu desenvolvimento econômico.

Bianka Nieckel

Comentários

Comentários