Agricultores bloqueiam trânsito na BR-101 em Osório

No Rio Grande do Sul seis rodovias foram paralisadas nesta sexta-feira, 14, entre 9h e 14h, para alertar a população sobre as fraudes em demarcações de terras indígenas e quilombolas ocorridas no país.

Milhares de produtores – pequenos, médios e grandes – estão sendo expulsos de suas propriedades com base em laudos fraudulentos patrocinados pela Funai e pelo Incra, de acordo com a Frente Agropecuária do Congresso, que organizou os atos em parceria com as federações estaduais de trabalhadores e da agricultura.

Hoje 13% do território brasileiro já é demarcado como território indígena. No atual sistema, a defesa dos proprietários – com registro em cartório das áreas – tem que ser encaminhada ao próprio órgão demarcador, ou seja, não há chance de reverter os processos.

De acordo com o autor da CPI da Funai/Incra e mentor da paralisação, deputado federal Alceu Moreira (PMDB/RS), “as demarcações tem cunho simplesmente ideológico, pois querem reduzir a capacidade produtiva do país, tudo com o envolvimento de organizações internacionais interessadas em que o Brasil não aumente suas fronteiras agrícolas”.

O parlamentar também lembrou que documentos relatando fraudes em todo o país foram apresentados em mais de 20 oportunidades aos ministros da Justiça, José Eduardo Cardozo, e da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, sem que nenhuma solução fosse apresentada.

Os pontos de paralisação no RS foram em Maquiné (BR 101), Mato Castelhano (BR 285), Pontão (ERS 324), Getúlio Vargas (ERS 135), Sananduva (ERS 343) e Faxinalzinho (ERS 343).

No resto do país houve paralisação em mais 15 estados.

Comentários

Comentários