Foto: Warley de Andrade/TV Brasil © Warley de Andrade/TV Brasil

A China registrou a primeira morte de humano devido a um vírus raro já identificado em macacos.

Um homem contraiu uma doença infecciosa rara de primatas, conhecida como vírus do macaco B e também como Herpes B.

A vítima é um veterinário de 53 anos de Pequim. As informações são de autoridades de saúde chinesas, divulgadas pelo jornal The Washington Post, nesta semana.

Ele sentiu náuseas, vômitos e febre um mês depois, e morreu em 27 de maio.

Suas amostras de sangue e saliva foram enviadas para o centro, onde os pesquisadores encontraram evidências do vírus.

Dois de seus contatos próximos, um médico e uma enfermeira, testaram negativo para o vírus.

Em humanos, esse tipo raro de vírus tende a atacar o sistema nervoso central e causar inflamação no cérebro, levando à perda de consciência.

As vítimas costumam ser veterinários, cientistas ou pesquisadores que trabalham diretamente com primatas e podem ser expostos a seus fluidos corporais por meio de arranhões, mordidas ou dissecações.

Segundo o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA, até hoje houve apenas um caso documentado de um ser humano infectado espalhando o vírus para outra pessoa.

Os saltos virais ocorrem quando um vírus adquire a capacidade de infectar e se espalhar entre indivíduos de uma nova espécie de hospedeiro. Exemplos históricos de vírus de animais que invadiram hospedeiros humanos incluem HIV (de chimpanzés), coronavírus Sars (de morcegos) e vírus influenza A (de pássaros).

Comentários

Comentários