Ciclone intenso se forma no Atlântico e deve causar ressaca no mar: veja os impactos

Ressaca no Litoral provocou aglomeração no calçadão nas últimas horas de 2023

Um grande ciclone extratropical está em desenvolvimento sobre o Sul do Atlântico, conforme observado em imagens de satélite recentes.

Vero Internet

Este fenômeno meteorológico está surgindo a leste da Patagônia, nas proximidades das Ilhas Malvinas, após uma baixa pressão ter se aprofundado significativamente nas últimas horas.

A pressão mínima do ciclone atingiu 970 hPa, indicando uma intensificação considerável.

Há apenas um dia, no mesmo horário, a pressão era de 992 hPa.

Dr. Sander Fridman - 16/11

O sistema esteve próximo de atingir o status de “ciclone bomba”, caracterizado pela rápida queda de pressão de pelo menos 24 hPa em um período de 24 horas.

Apesar da sua aparência impressionante nas imagens de satélite e da intensidade da pressão atmosférica em torno de 970 hPa, os impactos diretos no Brasil serão limitados.

A influência principal será em áreas mais ao sul e em latitudes mais elevadas da América do Sul no início desta semana.

O ciclone, por ser intenso e mover-se na direção nordeste, estende seu campo de ventos fortes por uma vasta área do Atlântico Sul.

Ciclone intenso se forma no Atlântico e deve causar ressaca no mar: veja os impactos
Cosmos Uniformes

Embora o centro da tempestade esteja distante, espera-se instabilidade, ventos fortes, temperaturas baixas e agitação marítima ao longo do litoral da província de Buenos Aires, especialmente na região de Mar del Plata.

No Uruguai, os efeitos do ciclone serão menos significativos, mas espera-se ventos mais intensos em áreas como Montevidéu, Canelones, Maldonado e Rocha no início da semana.

As rajadas de vento podem alcançar entre 50 km/h e 70 km/h, e o Rio da Prata e o Oceano Atlântico ficarão agitados.

Xis do Jô

No Brasil, a frente fria associada ao ciclone trará chuvas e ar mais frio, principalmente nas regiões litorâneas do Sul.

No entanto, o campo de vento intenso do ciclone permanecerá afastado do território brasileiro.

O Litoral Sul gaúcho terá tempo mais ventoso, com rajadas entre 60 km/h e 70 km/h, enquanto no Sul e Leste gaúcho, incluindo Porto Alegre, o vento pode atingir entre 30 km/h e 50 km/h em média nas rajadas.

Registre sua marca

A projeção do modelo europeu indica um amplo campo de vento forte a intenso em alto mar no Atlântico Sul devido ao ciclone extratropical.

O deslocamento do ciclone para leste-nordeste fará com que o campo de vento intenso permaneça em alto mar, sem afetar áreas continentais do Brasil.

Os efeitos do ciclone no Brasil serão mais evidentes em alto mar, sem riscos significativos no continente, de acordo com a MetSul.

A Marinha do Brasil emitiu avisos de ventos muito fortes e mar muito agitado para a área oceânica da costa sul do Brasil, com previsão de ondas de até seis metros em alto mar.

No litoral, a principal consequência será a agitação marítima e a possibilidade de ressaca.

Devido à intensidade do ciclone, mesmo a distância, seu campo de vento gerará um swell que afetará os litorais do Sul e parte do Sudeste, com ondas mais altas e possível ressaca do mar.

A Marinha do Brasil emitiu um aviso de ressaca para a Área Sul Oceânica entre Chuí (RS) e Laguna (SC), com ondas previstas de até 2,5 metros.

Receba as principais notícias no seu WhatsApp

Comentários

Comentários