Desarticulada no Litoral organização criminosa que receptava carros roubados e adulterava placas

Desarticulada no Litoral organização criminosa que receptava carros roubados e adulterava placas

Sete pessoas foram presas, preventivamente, e uma em flagrante, na manhã desta quinta-feira (16), durante operação da Polícia Civil contra uma organização criminosa especializada na receptação de carros roubados, adulteração de sinais veiculares identificadores e falsificação de documentos públicos.

As ações relativas à Operação Blanks, que teve o apoio de agentes da Corregedoria-geral do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), foram deflagradas em Porto Alegre, Glorinha, Gravataí, Alvorada, Tramandaí e Imbé.

As investigações tiveram início há oito meses, quando policiais civis descobriram uma fabriqueta clandestina em Alvorada e prenderam três criminosos em flagrante, além de recolher placas adulteradas.

Conforme o apurado, apenas no mês de maio, 59 pares de placas foram clonadas no local, gerando um lucro de R$ 600,00 por par, ou seja, um total de R$ 35,4 mil.

Na zona sul da Capital, também foram cumpridos mandados de busca e apreensão num Centro de Registro de Veículos Automotores (CRVA) e na residência de um funcionário do estabelecimento.

Os oito mandados de prisão preventiva e os mais de 15 de busca e apreensão foram expedidos pela 17° Vara Criminal no Foro Central da Capital, responsável por processar e julgar delitos envolvendo organizações criminosas.

Principal alvo

Proprietário de uma estampadora de placas de sinalização veicular, o principal alvo da operação foi preso, preventivamente, em Glorinha, na residência dele.

Já a estampadora, localizada em Gravatai – onde também houve cunprimento de ordem mandado de busca e apreensão -, teve suas atividades suspensas por até seis meses pelos agentes da Corregedoria-geral do Detran.

O homem, que tem 58 anos, é suspeito de desviar e repassar aos demais criminosos as chapas-base originais em branco (blanks, como são conhecidas tecnicamente aqui no país) das placas Mercosul, as quais, posteriormente, eram adulteradas na fábrica clandestina em Alvorada.

Receba as principais notícias no seu WhatsApp

O criminoso já havia sido preso pela especializada em maio de 2000, quando foi indiciado por adulteração de sinais identificadores e furto qualificado de energia elétrica.

Os presos

Além do dono da estampadora, preso em Glorinha, e do outro criminoso que já estava recolhido, foram presos, nesta quinta-feira, 1 em Imbé, 1 em Tramandaí e 4 em Alvorada – um desses 4, o preso em flagrante, foi encontrado com drogas e balança de precisão.

Comentários

Comentários