Filé de peixe será inserido no cardápio prisional de Osório e Torres

A Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe) vai passar a inserir peixe no cardápio dos presos em quatro estabelecimentos prisionais. As casas localizadas em Osório, Torres, Rio Grande e Pelotas serão contempladas com o projeto piloto que prevê o fornecimento de 110 gramas de filé da espécie merluza em um dia da semana, em substituição à carne vermelha.

No total, serão destinados cerca de 1.600 quilos do pescado para os quatro estabelecimentos. O preço por quilo é de R$ 10,47, sendo o custo mensal de R$ 16.629,40. O contrato de fornecimento foi assinado por seis meses. A ação é resultado da participação da Susepe nos pregões presenciais do Programa de Compras Públicas da Secretaria da Administração, o Fornecer, que realiza as aquisições de alimentos para presídios de micro e pequenos empreendedores da  próprias regiões em que as casas prisionais se localizam.

De acordo com o diretor do Departamento Administrativo da Susepe, Giovani Mota, o programa vai fomentar a economia do mercado pesqueiro dos municípios. Além disso, a riqueza nutricional do alimento beneficiará a saúde dos presos. Mota destaca ainda que se a demanda do pescado aumentar entre o público consumidor, o programa nutricional será estendido para outras regiões penitenciárias no Estado.

Comentários

Comentários