Verão quente e úmido: queda na produção leiteira no RS

Foto: Fernando Dias

Estudo indica perdas de até 34% em vacas de alta produtividade, com Maçambará, Itaqui e Uruguaiana entre os municípios mais afetados.

Hoffmeister Assistência Funeral

O verão quente e úmido de 2023-2024 impactou significativamente a produção leiteira no Rio Grande do Sul, segundo estudo publicado no Comunicado Agrometeorológico 67 – Especial Biometeorológico Verão 2023-2024.

A elevação das temperaturas e da umidade do ar colocou os animais em situação de desconforto térmico, reduzindo a produção de leite e gerando prejuízos aos produtores.

Conforto térmico:

  • 30,5% do período em conforto térmico.
  • 13,9% em situação de perigo para a saúde dos animais (fevereiro).
Portela Serviços Funerários

Regiões mais afetadas:

  • Vale do Uruguai e Baixo Vale do Uruguai.

Municípios com maior queda na produção:

  • Maçambará (5,1 kg/dia).
  • Itaqui (4,8 kg/dia).
  • Uruguaiana (4,7 kg/dia).
Massagem
Verão quente e úmido: queda na produção leiteira no RS

Perdas de produção:

  • 22% a 34% em vacas de alta produtividade, sem medidas de mitigação.

Medidas de mitigação:

  • Fornecimento de água fresca e sombra.
  • Adaptação da dieta dos animais.
  • Irrigação para resfriamento.
Disco Mania

Grupo de Estudos em Biometeorologia:

  • Responsável pela pesquisa.
  • Composto por pesquisadores e bolsistas em Agrometeorologia e Produção Animal.

Comunicado Agrometeorológico Especial – Biometeorológico:

Receba as principais notícias no seu WhatsApp

Registre sua marca

Comentários

Comentários