Capão da Canoa: operação apreende mais de R$ 3 milhões em imóveis

Nesta quinta-feira (25/10), a Polícia Civil, por meio da Delegacia de Repressão à Lavagem de Dinheiro (DCCOR/DEIC), desencadeou ação contra crimes roubo, furto e receptação de cargas roubadas, além de estelionatos praticados contra fornecedores de produtos comercializados em mercados.

Vero Internet

Durante a ação, foram cumpridas 22 ordens de busca e apreensão, nas cidades de Porto Alegre, Canoas, Viamão, Capão da Canoa e Itapema (SC).

Ao todo, foram apreendidos diversos veículos, R$ 20 mil em espécie, bem como um indivíduo foi preso em flagrante por posse de arma de fogo.

Dr. Bruno Loranos Germani

Também, durante a Operação, houve o sequestro de mais três milhões de reais em imóveis.

As investigações iniciaram em 2017, após o cometimento de crimes contra o patrimônio, além de estelionatos praticados pelos mesmos indivíduos contra fornecedores de produtos que costumam ser comercializados no varejo.

Os investigados são suspeitos de aplicarem fraudes mercantis, através de empresas registradas com documentação falsa, resultando em prejuízo financeiro aos fornecedores de gêneros comercializados em mercados, através da prática do estelionato, conhecido como “ARARA”.

Capão da Canoa: operação apreende mais de R$ 3 milhões em imóveis
Massagem

Além disso, os criminosos utilizam “laranjas” para se eximirem da responsabilidade civil e eventualmente criminal pelas dívidas e consequências jurídicas dos danos causados dolosamente aos fornecedores lesados.

O lucro ilícito era investido na compra de bens registrados em nome de terceiros ou era misturado ao capital com o faturamento dos próprios mercados.

Receba as principais notícias no seu WhatsApp

Xis do Jô

Comentários

Comentários