Três dias ameaçadores com grave risco de tempo severo no Rio Grande do Sul, segundo Metsul

O Sudoeste do Rio Grande do Sul pode ser novamente uma das áreas mais atingidas pelas condições de tempo severo que são esperadas para esta segunda metade da semana no Rio Grande do Sul. Altos índices de instabilidade sugerem o risco de chuva localmente forte a intensa na região hoje e amanhã com possibilidade de novos temporais isolados.

Da tarde para a noite desta quarta, na quinta e na primeira metade da sexta as condições meteorológicas se deterioram muito nesta parte do Estado com volumes de chuva que até podem ser localmente extremos e alto risco de vendavais e granizo. A saída das 12Z de hoje do modelo americano indica altíssimos índice de instabilidade para Uruguaia (CAPE de até 3200 J/Kg e Lifted Index de -11) e ainda elevados volumes de chuva.

A MetSul Meteorologia torna uma vez mais a alertar que este período entre quarta e sexta no Rio Grande do Sul é muito preocupante. Tanto amanhã (quarta) como na quinta-feira a maior ameaça são os temporais com chuva localmente forte a intensa, vendavais (até fortes ou intensos com potencial destrutivo) e queda de granizo.

Insistimos que o cenário é propício a algumas tempestades muito severas. Fato é que tanto amanhã como na quinta a instabilidade, que pode ser forte, estará no começo do dia mais concentrada sobre o Sul e o Oeste, mas, principalmente no Centro da Argentina e no Uruguai. Da tarde para noite a tendência é que as nuvens carregadas se desloquem pelo Estado. Este cenário é muito mais real para quinta-feira, quando os temporais tendem a ser mais generalizados e fortes.

Entre a tarde e noite de quarta-feira e a primeira metade de quinta ainda haverá a atuação de corrente de jato de baixos níveis (mapas abaixo), agravando o risco de tempo severo e, especialmente, de vendavais fortes. Não apenas aqui no Estado (maior risco para o Oeste, Sul e Centro do Rio Grande do Sul), mas também no Uruguai.

Da tarde para a noite de quinta, o risco de tempo severo aumenta muito do Centro para o Norte do Estado, onde a atmosfera estará mais quente e com baixa pressão, com o avanço da instabilidade mais forte do Sul e da Fronteira Oeste. A quinta, aliás, será bastante abafada na Metade Norte com temperatura atipicamente alta na madrugada.

Os modelos indicam a corrente de jato em baixos níveis com maior força no final da quarta e começo da quinta, o que traz a possibilidade, ademais, de fortes rajadas de vento Norte (o que explica a alta temperatura noturna projetada para o começo da quinta), sobretudo na área de Santa Maria e nos pontos mais altos do Sul e do Sudoeste do Estado.

Se não bastasse, a sexta-feira também é motivo de enorme preocupação. Há o risco ainda de temporais de vento e granizo, mas a maior ameaça deve ser mesmo a chuva. Quase a totalidade dos modelos indica a possibilidade de volumes muito altos com acumulados até localmente extremos (100 mm a 150 mm em curto período) para a sexta-feira. Não se afasta chuva forte em nenhuma região do Estado na sexta, inclusive em Porto Alegre, mas os maiores acumulados, segundo as simulações, ocorreriam do Centro para o Oeste e o Norte do Rio Grande do Sul. Serão volumes capazes de provocar alagamentos ou, em casos mais extremos, até inundações. No decorrer da sexta, a instabilidade diminui pelo Sul e o Oeste, melhorando o tempo na maior parte do Estado no sábado.

Comentários

Comentários